Contabilidade Consultiva em Juiz de Fora, Contabilidade em Juiz de Fora

Reduza a carga mensal de impostos

Você sabia que assim que as informações são enviadas ao contador elas não podem mais ser alteradas? Ou seja, se o empresário não se atentar, os impostos são apurados e, em muitas ocasiões, podem ser pagos indevidamente. Na prática, isso pode gerar riscos de autuações e ainda reduzir o fluxo de caixa da empresa (ou seja, perda de dinheiro).

Uma estimativa razoável é que de 1 a 5% do faturamento de um negócio possa gerar créditos tributários, em função de uma revisão dos procedimentos, do desconhecimento da legislação tributária ou aplicação inadequada. Por isso, quem está à frente de um negócio não deve simplesmente concordar em recolher os tributos enviados pela Contabilidade, sem ao menos entender minimamente como funciona a sistemática tributária de sua empresa. Isso é imprescindível, acredite!

Portanto, o empresário, ciente dos tributos incidentes nas suas operações, pode e deve gerenciar previamente seus processos, alcançando assim a redução do custo tributário e burocrático do seu negócio.

Como a Auditoria pode ajudar na recuperação de tributos?

Além de analisar se todos os impostos foram pagos em dia, se houve erros no cumprimento da legislação e quais são as possibilidades para corrigir as falhas, a melhoria das informações, seguindo os avanços tecnológicos que ampliaram ainda mais a eficiência dos controles faz da Auditoria uma importante ferramenta para o alcance da conformidade.

A implementação da NF-e (nota fiscal eletrônica) e as obrigações do SPED possibilitaram através da Auditoria Fiscal a implementação de processos que minimizam os erros que resultam em prejuízos para as empresas.

A auditoria além de atuar como uma rotina de prevenção e minimização de riscos, também se trata de um trabalho especializado que consiste em revisar o cálculo dos impostos dos últimos 05 anos. O principal objetivo é identificar valores pagos a maior, recuperando-os, bem como reduzir a carga mensal dos impostos dentro da legalidade, garantindo que os benefícios previstos na legislação e não usufruídos pela empresa, possam ser aproveitados e até mesmo restituídos.

 

Pequenas e Médias devem ter a visão das grandes!

Muitas pequenas e médias empresas optantes pelo Simples Nacional, principalmente as varejistas, vêm recolhendo mais tributos do que deveriam, na medida em que não realizam a segregação das receitas decorrentes da venda de produtos sujeitos à tributação Monofásica ou à Substituição Tributária do PIS/Pasep e da COFINS.

A título de exemplo podemos destacar os regimes Monofásico e ST do PIS/Pasep e da COFINS, em que o recolhimento dos tributos ocorre de forma antecipada, a partir da premissa de que e seria recolhido em toda a cadeia produtiva até o consumidor final. Sendo assim, o Fisco consegue antecipar todos os fatos geradores dos tributos, exigindo do fabricante/produtor ou importador os montantes correspondentes na própria origem, de modo que os demais participantes da cadeia de consumo (revendedores) não precisam promover o recolhimento dos tributos, pois tal operação já foi feita antecipadamente.

 

Todavia, uma representativa parcela destes contribuintes acaba pagando seus impostos incorretamente, seja pelo preenchimento incorreto das informações no PGDAS; pelo desconhecimento da legislação tributária pertinente ao seu negócio, ocasionando a classificação equivocada das mercadorias e cadastros incorretos da situação tributária dos produtos, desencadeando na emissão incorreta da nota fiscal e conseqüentemente o pagamento indevido dos impostos.

Concluindo, deve ser de grande interesse dos empresários, que a correta segregação do Simples Nacional seja condição precípua para que não percam competitividade no mercado ou, em alguns casos, para que não tenham seus empreendimentos inviabilizados. Os impostos ao serem apurados corretamente não acarretarão dificuldades no fluxo de caixa da empresa e os créditos, uma vez comprovados e documentados, gerarão direitos a compensação de débitos tributários futuros, e às vezes até mesmo a restituição de valores pagos indevidamente, possibilitando maior liquidez no caixa da sua empresa.

Entretanto, esta não é tarefa fácil: é necessário acompanhar a legislação diariamente e manter a classificação fiscal dos produtos atualizada, além de auditar constantemente todos os itens comercializados.

Para saber mais sobre como recuperar valores pagos a maior, entre em contato com a Contarcon!

 Clique Aqui

Siga-nos

Atendimento via

WhatsApp

Atendimento via

WhatsApp